“Que nenhuma estrela queime o teu perfil
que nenhum deus se lembre do teu nome
que nem o vento passe onde tu passas.

Pra ti criarei um dia puro
livre como o vento e repetido
como o florir da ondas ordenadas”.

Que nenhuma estrela queime o teu perfil, de Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004).
Escritora, poeta, tradutora e a primeira mulher portuguesa a ganhar o prêmio Camões em 1999. Para mim, uma das maiores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *