Sol se põe nos teus cabelos. Nasço eu, enluarada.

Sóis em ti,

em mim, lunações:

sou noite em pleno dia,

Andrômeda

Orion

Crux.

Órbitas, corpos celestes, só eu e você.

E essa pele estrelada, constelada de desejos?

Sonhos diurnos, noturnos amores, em que céu?

Céu da boca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *