Restou aquele jeito de olhar
aquele silêncio miúdo
o sorriso e o riso
a voz, e a vez
em que as moedas-mudas-imóveis-ao-chão não pagaram nem sonhos nem pão.
Era asa e sombra
Foi agora e é sempre:
despia relógios
pintava palavras
,regava com chão aquela flor do deserto.
Naquele beijo
de improviso
imprevisto
ela pensou definitivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *