“As portas finais,
Os cantos iguais,
Os pontos cardeais
Sempre obsidionais.

Os tempos anuais,
As faces glaciais,
As culpas filiais
Sempre obsidionais.

Os dois iniciais,
As dores tais quais,
Os juízos finais
Sempre obsidionais”.

( Jorge de Lima. Canto III, 21 – Poemas relativos. Invenção de Orfeu. Cosac Naify, 2013)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *